Aufrufe
vor 4 Jahren

ONELIFE #34 – Brazilian Portuguese

  • Text
  • Jaguar
  • Onelife
  • Rover
  • Land
  • Rover
  • Velar
  • Tecnologia
  • Bonanza
Land Rover steht für höchste Allradkompetenz, umfassenden Komfort und anspruchsvolle Technik. Diesem Geländewagen ist kein Weg zu weit und keine Aufgabe zu schwer – getreu dem Slogan „Above and Beyond“. ONELIFE vermittelt Land Rover-Kunden genau dieses Gefühl von Abenteuer und Freiheit.

CASAS DE FRONTEIRA

CASAS DE FRONTEIRA Acima: Construída para realçar ao máximo possível as vistas do noroeste americano, a Studhorse Outlook da Olson Kundig Architects emana luxo minimalista. Uma característica fundamental deste elegante complexo residencial são as janelas de alto abaixo, que funcionam como telas de cinema naturais “ AS CASAS DE FÉRIAS TÊM A V E R C O M A V E N T U R A . S Ã O A S C A S A S Q U E D E I X A M A S MEMÓRIAS MAIS INDELÉVEIS” Inserindo-se no entorno, a propriedade transmite luxo requintado com um terraço que permite aos moradores observarem as árvores e arbustos que os rodeiam, escadas em pedra que serpenteiam por cantos e esquinas e até uma obra de arte iluminada construída diretamente na estrutura da casa de um artista dano-islandês, Ólafur Elíasson. Abrir uma janela para o mundo que normalmente não é visto a partir das suas casas é o que faz com que estas habitações sejam únicas: a possibilidade de viver como um fronteiriço nos limites da natureza e admirar todo o esplendor, que é o que atrai os compradores. Uma construção angular em madeira e vidro denominada Studhorse Outlook, pousada no limiar de North Cascades, no estado de Washington, EUA, é outro desses portais para a natureza. Concebido por Tom Kundig da Olson Kundig Architects para uma família para quem a natureza ocupa um lugar importante nos seus corações, este exclusivo complexo de edifícios no meio de 8 hectares de um matagal de flores silvestres fica em Methow Valley, um destino de lazer muito popular no extremo noroeste do estado de Washington. Janelas de cima abaixo, em toda a propriedade estilo lanterna, dão a impressão que a majestosa vista exterior se ergue bem à porta de casa, como uma tela de cinema para a vida selvagem com quem os ocupantes humanos partilham o seu habitat. Aço, vidro, cimento e madeira de demolição constituem a maior parte da propriedade, que tem uma enorme lareira em cimento no centro, com área de estar num bloco, quartos noutro bloco, garagem e lavanderia num terceiro bloco e sauna no quarto bloco, que fica num prado perto. “As casas de férias têm a ver com aventura”, diz Kundig. “E são as casas que deixam as memórias mais indeléveis. A melhor forma de conseguir isso é torná-las pouco convencionais”. Rejuvenescer técnicas de construção tradicionais ou clássicas no mundo moderno não é de todo convencional. Porém, esse é um método que o arquiteto italiano Alfredo Vanotti decidiu adotar na Casa VI em Piateda, empoleirada nos Alpes Oróbios, um quilômetro acima do nível do mar. Partindo de ruínas pré-existentes e transformando-as numa casa digna de qualquer pioneiro, Vanotti utilizou blocos de concreto para construir uma casa sobre um vale coberto de neve nos picos dos Alpes. As paredes externas são revestidas com pedras de demolição, alinhando a propriedade com o ambiente alpino, enquanto o interior aproveita materiais locais e artesanato. “Pediram para que transformássemos as ruínas pré-existentes numa residência com destaque para a luz solar natural do vale”, diz Vanotti. “Fizemos uma análise cuidadosa da exposição e da luz solar durante diferentes fases do ano e optamos por um telhado com camada única e janelas grandes para que o sol incida o ano todo. E graças a uma reinterpretação de técnicas FOTOGRAFIA: BENJAMIN BENSCHNEIDER, MARCELLO MARIANA 34

CASAS DE FRONTEIRA de construção e materiais modernos inspirados no passado, quase todo o interior, lareira, mesas, cadeiras, escadas, bidê, cuba, é feito à mão”. Dentro da Casa VI, as vigas de madeira contrastam com as paredes de um branco tão alvo que fazem lembrar o primeiro piscar de olhos quando subimos uma montanha e a cegueira da neve nos atinge momentaneamente; um conjunto moderno de degraus baixos faz, na metade, uma inversão de 180º, atraindo o olhar para o andar de cima, onde as paredes e piso dos dois quartos e do mezanino escritório são revestidas em madeira não envernizada. Porém, é o entorno deste remoto vale italiano que constitui a característica mais impressionante da Casa VI. Integrada nas paredes do quarto principal, há uma grande janela panorâmica que enquadra perfeitamente um pico com neve do outro lado e funciona como uma tela natural do mundo exterior, convidando à exploração e descoberta. Muitas vezes aceitamos o nosso ambiente atual, confinados às nossas casas normalizadas em ruas suburbanas. Mas para os modernos fronteiriços do mundo, há arquitetos que constroem casas nas quais horizontes se abrem, quer seja no interior da mata brasileira, num vale italiano ensolarado ou em qualquer lugar onde a natureza nos convida a ouvir o nosso espírito pioneiro inato. Essa mensagem serve para nos lembrar que ainda podemos recuperar esse espírito de descoberta e apreciar o luxo de belos projetos até mesmo no fim do mundo. SIGA EXPLORANDO A Land Rover está trabalhando com alguns dos melhores fotógrafos do mundo da Magnum para expor as mais dramáticas vistas e paisagens da Terra. Pesquise Land Rover Ultimate Vistas para conhecer outras fronteiras fantásticas e arquiteturas deslumbrantes A Casa VI do arquiteto italiano Alfredo Vanotti repousa solenemente num vale ensolarado dos Alpes Oróbios, no norte de Itália. Um tema recorrente no projeto é a luz solar natural que irradia por todas as aberturas ao longo do ano, graças à estrutura aberta. E o mais impressionante é a janela do quarto principal estilo portal sobre o vale e as cadeias montanhosas vizinhas 35