Aufrufe
vor 3 Jahren

Jaguar Magazine 03/017 – Brazilian Portuguese

  • Text
  • Jaguar
  • Carro
  • Linha
  • Melhor
  • Anos
  • Corrida
  • Carros
  • Mundo
  • Cidade
  • Nova
Wir geben Gas! In London sorgt Automobiljournalist Guy Bird im brandneuen E-PACE für Aufsehen und zeigt uns ganz nebenbei nahezu unentdeckte Tipps in der britischem Hauptstadt – seiner Heimat. Warum sich der Jaguar XE bestens als Grundlage für den leistungsstärksten Jaguar mit Straßenzulassung aller Zeiten – den XE SV Project 8 – geeignet hat, hat uns David Pook erklärt, Leiter der Special Vehicle Operations bei Jaguar Land Rover. Lesen Sie mehr in der aktuellen Ausgabe THE JAGUAR 03. 

MARKE Uma boa parte da

MARKE Uma boa parte da A2, entre Portrush e Portstewart, fica interditada no mês de maio para receber o desafiador circuito internacional North West 200 de motociclismo de estrada. Ao dirigir nessas estradas, tem-se a certeza de que Mike Cross e a equipe de dinâmica da Jaguar conseguiram realizar aquilo que se propuseram a fazer: manter, sem concessões, a melhor direção da categoria e o manejo do sedã XF. O XF Sportbrake mantém a dualidade dinâmica da Jaguar: ágil e responsivo quando você quer, mas silencioso e fluente quando necessário. Além disso, com os 700 Nm de torque oferecidos pelo motor V6 turbodiesel, as ladeiras parecem suaves ondulações. MOBILIDADE EM SUBIDAS Quando nos encontramos com Phil, não havia condições adequadas para voar sobre a praia. Por isso, ele entrou no carro e dirigimos para o interior, mais precisamente para a cidade de Dungiven, nas proximidades. Não houve nenhuma dificuldade para acomodarmos seus equipamentos no porta-malas. Fica evidente que o visual elegante veste um espaço inteligente e funcional. O porta-malas se abre com um “gesto” do pé sob a saia traseira isso é ótimo para os momentos em que temos as mãos ocupadas. Revela-se então um espaço longo e prático, com trilhos e amarras para prender as cargas, além de uma rede divisória para que você possa enchê-lo até o teto. Perto da porta traseira há alças para girar os bancos de trás para a frente. Quando você está pronto para ir embora, o sistema Activity Key, usado no pulso e à prova d’água, permite trancar tudo inclusive a chave principal dentro do Sportbrake. AR DINÂMICO A decolagem de um parapente parece desafiar as leis da física. Phil deixa o vento encher suas asas e, em seguida, dá alguns passos em direção à brisa, até o momento em que o vento o leva para cima, contrariando as probabilidades. “Se você tiver medo na primeira vez em que os seus pés saírem do chão, provavelmente esse esporte não é para você”, disse, com um sorriso irônico. “A emoção que eu sinto hoje é a mesma que senti há vinte anos. É viciante e não passa nunca.” Para permanecer no alto, é preciso ter um sexto sentido em relação ao vento. “É como um jogo de xadrez. Você usa correntes termais para ganhar altitude. São como bolhas de ar quente. Podem se formar sobre uma cidade e, em seguida, ser deslocadas pelo vento. Se você sabe o que está procurando, consegue enxergá-las. Por exemplo, frequentemente você vê pássaros circulando nelas, procurando pequenos insetos levados pelo vento. Dá até para sentir o cheiro do ar dessas correntes, porque carregam o odor da terra que ficou abaixo.” 62 THE JAGUAR

SENTADOS NO CONFORTO DA CABINE DO XF SPORTBRAKE, OBSERVAMOS A PRAIA DE BENONE, NO ATLÂNTICO NORTE O estilo, a elegância e o desempenho dinâmico do novo Jaguar XF Sportbrake (esquerda) refletem em vários aspectos as habilidades de Robert Finlay (direita), que corta a praia de Benone em seu kite buggy. E aí chega a hora de “cavalgar” o próprio vento. “Nós chamamos isso de ‘ar dinâmico’: é o que acontece quando o vento atinge um obstáculo, como os penhascos atrás da praia de Benone. Eles jogam o vento para cima. Você pode usar isso para ganhar altitude e, em seguida, descer devagar antes de subir novamente. Dessa forma, é possível voar o dia inteiro. É um privilégio poder sobrevoar essa paisagem usando uma energia natural e sem ruído.” Ficamos olhando o Phil por um tempo, abrigados da brisa dentro do Sportbrake e, quando ele voava diretamente acima de nós, o seguimos pelo teto solar panorâmico extraordinário, que abrange todo o comprimento do carro e inunda a cabine de luz. Conforme as condições mudam, descemos novamente para o litoral, para a amplidão dourada da praia de Benone e o encontro com Robert. Ele pratica o “parakarting” nessa praia há 21 anos e é totalmente autodidata. “Já andei debaixo de chuva, granizo e neve, fazendo tudo errado, mas adorando e desesperado para aprender”, afirmou, cheio de entusiasmo. Essa determinação e dedicação lhe renderam 12 títulos irlandeses consecutivos e ajudaram até mesmo a trazer os campeonatos europeus de kite buggy para a sua amada Benone. É fácil entender por que o esporte é tão viciante. Robert plana sobre a areia a apenas cinco centímetros da superfície e pode passar facilmente dos 95 km/h usando apenas o vento e sua habilidade. THE JAGUAR 63